sábado, 17 de junho de 2017

Através da fumaça e dos espelhos, eu vislumbro a vida, vislumbro o tempo, e como adulta criança persigo minhas voltas à luz. A minha permanência no momento em que é perdida a cegueira das sombras. Tudo o que importa é o importante! E me pego em uma névoa, de olho ao lugar em que de fato pertenço. Onde em pele, em todas as formas e nuance de cores, e fragrâncias, a plenitude do estar em sua maravilhosa maravilha, enquanto aguardo pautada na gentileza, não me faz ter medo e minha fé não permanece a mesma. A esperança na beleza ainda não vista, sentida e experimentada encontra no melhor de um vidro quebrado em reflexões, onde as cortinas brilham como o sol, e arranca da minha visão tudo que está dito e pronto, sem mais apenas em partes.
Priscila C.O.Taveira